Para entrar em contato com um dos idealizadores do Projeto Beagle, mande uma mensagem para um dos números ao lado ou por alguma rede social ;D 

 (17) 99662 - 6168     MARYANNA 

 (17) 99187 - 0032     IZABELLA

 (17) 98157 - 6880     GABRIEL

© 2018 por Projeto Beagle. Orgulhosamente criado com Wix.com

 

Engenheiros ecológicos

   As comunidades em ecologia podem ser definidas como conjunto de populações de seres vivos que interagem entre si. Já em uma escala mais ampla, o conjunto de comunidades interagindo com o ambiente mais suas características físico-químicas originam os ecossistemas. Essas comunidades são moldadas ecologicamente por relações entre os seres vivos (ex.: predação, parasitismo ou competição) ou por relações envolvendo seres vivos e fatores não vivos na natureza (ex.:  ambiente, temperatura, precipitação). Essas interações são reflexos das forças evolutivas ao longo das relações de ancestralidade e descendência dos organismos. Nas relações envolvendo seres vivos e não vivos na natureza pode acontecer uma modificação na estrutura do ambiente.

 

   Os organismos podem alterar a arquitetura física do local onde crescem e se reproduzem, podendo afetar outros organismo que interagem conjuntamente à eles. Organismos conhecidos como engenheiros do ecossistema (ou engenheiros ecológicos) são seres que controlam direta ou indiretamente a disponibilidade de recursos (ex.: alimento, água, abrigo, etc) para outros indivíduos por meio de transformações físicas em outros seres vivos e não vivos na natureza (sensu Jones et al., 1994,1996). Os engenheiros podem transformar diretamente o ambiente por processo de crescimento próprio (ex.: desenvolvimento de uma árvore) ou transformar o ambiente físico sem fazer parte da matéria transformada (ex.: castores quando derrubam uma árvore para construir moradia).

Ilustração por Gabriel Ferreira

 

   A engenharia ecológica é processo também comum em comunidades que vivem em plantas terrestres. Abrigos foliares são construídos tanto por herbívoros, como por predadores e parasitas. Lagartas de borboletas, durante sua metamorfose, podem atuar como engenheiros ecológicos ao serem responsáveis pela construção de abrigos foliares de várias formas em plantas (ex.: forma de cilindro, cordão, funil, teia e tenda). A construção desses refúgios foliares proporciona uma ocupação secundária para muitas outras espécies de artrópodes, após o abandono do construtor original. Um experimento conduzido em ambiente de altitude e de mata atlântica incluindo diferentes estações do ano avaliou os efeitos da engenharia ecológica de um inseto nas comunidades de seres vivos das plantas. Os resultados desse estudo demonstraram claramente como a mudança física de habitat provocado por uma lagarta de borboleta facilitou ocorrência de outros artrópodes, que por sua vez alterouo a estrutura de comunidades de outros organismos na planta também, causando uma cascata.

    Desse modo, podemos inferir  que as interações ecológicas positivas, como a engenharia ecológica, potencialmente podem evoluir conjuntamente com as interações biológicas entre organismos moldando a estrutura das comunidades dos seres vivos no ecossistema. Engenheiros ecológicos terrestres, como lagartas de borboletas, podem ser considerados elementos fundamentais na estruturação de comunidades de artrópodes sobre plantas na região Neotropical

Camila Vieira

Leitura recomendada  por texto

Artigo: Organisms as Ecosystem Engineers

 

('Organismos como Engenheiros de Ecossistemas')

Autores:   Clive G. Jones, John H. Lawton, Moshe Shachak

oik_123_01_cover_ny.jpg

Clique na imagem e vá para o site