Para entrar em contato com um dos idealizadores do Projeto Beagle, mande uma mensagem para um dos números ao lado ou por alguma rede social ;D 

 (17) 99662 - 6168     MARYANNA 

 (17) 99187 - 0032     IZABELLA

 (17) 98157 - 6880     GABRIEL

© 2018 por Projeto Beagle. Orgulhosamente criado com Wix.com

Como traçar filogenias de CIANOBACTÉRIAS?

  Estudar a história evolutiva dos primeiros seres fotossintetizantes do planeta Terra parece ser algo fantástico e extremamente intrigante. Porém ao longo de aproximadamente 140 anos desde as primeiras investigações à cerca da classificação de cianobactérias, muitas das relações de parentesco entre estas bactérias continuam obscuras. E não podia ser diferente, afinal estamos lidando com seres microscópicos, de morfologia simplista e com ubiquidade indiscutível. E como a história destes organismos vem sendo investigada? A classificação, ou seja, a maneira como eles vêm sendo separados e organizados, foi tradicionalmente baseada em dados morfológicos e/ou reprodutivos. O que significa que o importante era a “aparência” da bactéria: as medidas, o formato, a coloração e muitas outras características, incluindo a maneira de se reproduzir.

 

  Entre os principais trabalhos na área está o de Geitler (1932), que levantou a flora de cianobactérias, principalmente da Europa Central, apresentando aproximadamente 1300 espécies distribuídas em 145 gêneros, 20 famílias e três ordens. Este mesmo pesquisador juntamente com outros muito relevantes, consideraram também, aspectos ecológicos para a classificação do grupo. Neste caso, outro aspecto importante era o hábito da população: se era aquático, de solo, marinho, entre outros. Porém, recentemente foi introduzida a ferramenta da biologia molecular e a informação genética passou a ter um peso considerável nas investigações do grupo, principalmente a partir do trabalho de Hoffmann e colaboradores (2005) que permitiu que os dados gerados fossem compilados e a biologia molecular confirmada como característica válida em estudos de filogenia. Assim, as pesquisas com cianobactérias cresceram e produziram dados suficientes para um rearranjo sistemático do grupo.

Ilustração por Gabriel Ferreira

  Dentro do contexto muitos dos estudos que passaram a utilizar a ferramenta da biologia molecular comprovaram que certas bactérias morfologicamente idênticas possuíam diferenças em seus materiais genéticos, diferenças muitas vezes significativas a ponto de levar a separação de gêneros. Dessa forma, dentro da área de estudo de cianobactérias atualmente é praticamente imprescindível a utilização da ferramenta molecular em estudos de filogenia

Nathali Machado

Leitura recomendada  por texto

Cartilha do governo: 

ministério-da-saúde.png

Clique na imagem e vá para o site